CAXIAS DO SUL VIVE UMA INSTABILIDADE POLÍTICA – A DANÇA NA CADEIRA DE PREFEITO MUNICIPAL

Em 09/01/2020, após 07 (sete ) dias afastado e depois de ter sido eleito prefeito indireto, com votos só dos vereadores, Flávio Cassina reasssume a prefeitura de Caxias do Sul até o fina do ano de 2020. Como vice prefeito ficou Édio Eloi Frizzo. Foram 19 votos favoráveis a chapa única e três votam contrários a esta chapa.

NOTÍCIAS DE 02/01/2020

No dia 02/01/2020, como previsto assumiu a presidência da Câmara de Vereadores, RICARDO DANELUZ, mas nem chegou a sentar na cadeira de presidente e minutos depois passou o cargo para Paulo Périco e foi empossado como prefeito interino no lugar de Flãvio Cassina até 09/01/2020, onde terá a eleição indireta para escolha do novo prefeito e vice, entre os próprios vereadores que deverá ser Flávio Cassina do PTB como prefeito e Edio Eloi Frizzo do PSB como vice. É chapa única. Em 12 dias Caxias teve três prefeitos. Se confirmado, no dia 09/01/2020 em 19 dias, Caxias do Sul, terá a cadeira de prefeito trocada quatro vezes, considerando que Flávio Cassina assumirá duas vezes no rodízio.

NOTÍCIAS DE 22/12/2019

Na manhã de Domingo, dia 22/12/2019, a Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, depois de quase 52 horas de trabalhos ininterruptos, protagonizou um fato que marcará para sempre a história da cidade e do legislativo caxiense, fato que nunca aconteceu antes, mesmo em períodos difíceis de instabilidade política, como nos Governos de excessão de Vargas e do Regime Militar de 1964 a 1985. Depois de seis pedidos de impeachment rejeitados, os vereadores acatam o sétimo pedido e sendo este o terceiro movido pelo ex vice prefeito Ricardo Fabris de Abreu, que também virou adversário político de Guerra, desde o início.

Por 18 votos favoráveis, 04 contrários e uma abstenção o então Prefeito Daniel Guerra que venceu as eleições municipais em 2016 com 148 mil votos, foi cassado pelos vereadores. Como o vice Prefeito Ricardo Fabris de Abreu havia renunciado, assumiu como Prefeito interino o atual presidente da Camara de Veradores o Vereador Flávio Cassina do PTB.

VOTARAM A FAVOR DO IMPEACHMENT:

  • 1- Adiló Didomênego – PTB
  • 2- Adriano Bressan – MDB
  • 3 – Alberto Meneguzzi – PSB
  • 4- Alceu Thomé – PTB
  • 5- Arlindo Bandeira – PP
  • 6- Edi Carlos Pereira de Souza -PSB
  • 7- Édio Elói Frizzo – PSB
  • 8- Edson da Rosa -MDB
  • 9- Felipe Gremelmaier – MDB
  • 10- Kiko Girardi – PS
  • 11 – Gustavo Toigo – PDT
  • 12 -Paula Ioris – PSDB
  • 13 -Paulo Périco – MDB
  • 14 – Rafael Bueno – PDT
  • 15 – Ricardo Daneluz – PDT
  • 16 – Rodrigo Beltrão – PT
  • 17 -Tatiane Frizzo – SOLIDARIEDADE
  • 18 – Velocino Uez – PDT

VOTARAM CONTRA O IMPEACHMENT

  • 1- Denise Pessoa – PT
  • 2–Elizandro Fiuza – REPUBLICANOS
  • 3- Renato Nunes – PR
  • 4- Renato Oliveira -PCdoB

No dia 02/01/2020, como previsto assumiu a presidência da Câmara de Vereadores, RICARDO DANELUZ, mas nem chegou a sentar na cadeira de presidente e minutos depois passou o cargo para Paulo Périco e foi empossado como prefeito interino no lugar de Flãvio Cassina até 09/01/2020, onde terá a eleição indireta para escolha do novo prefeito e vice, entre os próprios vereadores que deverá ser Flávio Cassina como prefeito e Edio Eloi Frizzo como vice. É chapa única. Em 12 dias Caxias teve três prefeitos. Se confirmado, no dia 09/01/2020 em 19 dias, Caxias do Sul, terá a cadeira de prefeito trocada quatro vezes, considerando que Flávio Cassina assumirá duas vezes no rodízio.