Biografia de Adelar Bertussi

Adelar Bertussi Siqueira nasceu em Caxias do Sul/RS, no dia 10 de Fevereiro de 1933. Adelar é um músico gaúcho.

Adelar criou com seu irmão Honeyde Bertussi (26 de fevereiro de 1923 – 04 de Janeiro de 1996) um grupo de baile que recebeu o nome de Irmãos Bertussi por um radialista.

Os “Irmãos Bertussi” marcaram a época na música Brasileira a partir de 1955, porém a saga desta família Italiana atravessa todo o século XX na música do Rio Grande do Sul, iniciando-se com a chegada de João Bertussi Filho (pai de Fioravante Bertussi) na leva de imigrantes XIX.

Estabelecidos na região serrana, “Os Bertussi” difundiram instrumentos musicais (especialmente a gaita) através de seu entreposto comercial. Criaram uma escola musical baseada na técnica apurada e na leitura musical.

Isto os diferenciou na música regional. Fioravante era um clarinetista estudioso e tornou-se regente de uma das primeiras bandas serranas.

Os filhos estudaram teoria musical o colheram o que de melhor havia em folclore e gêneros regionais diretamente das fontes.

Alias, não só viviam essas realidades cotidianas, como logo eles próprios tornaram-se fontes.

Talvez a cultura gaúcha nem possa dimensionar ainda a influência e real importância dos “Bertussi”, mas, eles representam diretamente a ascendência Italiana na sociedade gaúcha do século XX e todos os seus significados.

Veremos que no começo do século os temas recorrentes são sobre a índole musical gaúcha, que predominavam os temas tristes, sombrios e carregados.

Em contraponto a este debate, “Os Bertussi” infundem uma escola musical de baile, com música apropriada para a dança e a alegria característica do povo Italiano.

Somando a isso, ainda há que se frisar o aspecto importante do espírito inovador destes músicos.

A primeira grande revolução que causaram foi a de utilizar dois acordeons ao invés da costumeira dupla violão/acordeom.

Isto só foi possível, porque Adelar e Honeide eram exímios instrumentistas e escreviam as partituras rearranjando os temas de modo que os instrumentos se completassem.

Era como um só acordeom tocando a quatro mãos. Anos depois, já no início dos anos 50, Incorporaram a bateria ao baile gaúcho.

Bateria era, então, um instrumento utilizado pelos jazzistas e havia entrado no RS a partir de 1924. “Os Bertussi” sabiam o que queriam.

Na época não existiam equipamentos de som (microfones, amplificadores e caixas de som são coisas dos anos 60). Precisavam de volume, de potência sonora para os bailes cada vez maiores.

Assim é que “Os Bertussi” estiveram na linha de frente da música ao gravar temas eruditos em acordeom para o mercado nacional e ao revolucionar a execução musical dentro do estado. Esta saga vitoriosa cruza todo o século XX e adentra o século XXI.

Adelar e seu irmão foram os pioneiros da música tradicionalista gaúcha, e também foi o primeiro grupo a incluir a bateria em bailes, fato inédito, porque na época os artistas se apresentavam nos bailes com um pandeiro, uma gaita, um violão e um bumbo legüero.

O cantor Adelar Bertussi é hoje é referenciado como um símbolo do tradicionalismo.

Adelar deixou ‘Os Bertussi’ no ano de 1998, e passou o cargo para seu filho Gilney Bertussi. O conjunto “Os Bertussi”, liderado agora por Gilney Bertussi, filho de Adelar, continua a gravar discos e a animar bailes com o estilo inconfundível. Não é a toa que eles se referem constantemente à “Música Bertussi”. Com toda a razão, eles criaram escola.

Hoje Adelar apresenta-se em shows pelo Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.